Tag Archives: moda cotidiana

Se meu dia tivesse umas 3 horas a mais…

4 maio

… Eu faria um curso de corte e costura e mais um de modelagem pra fazer eu mesma as roupas que eu gostaria de vestir.

Sim, houve uma época da minha vida (que na verdade parece ter sido em outra vida) em que eu tinha uma costureira amiga que fazia tudo o que eu queria, do jeitinho que eu gostava e pedia.

Hoje isso não é mais real. Mas não custa sonhar com um dia mais longo rsrsrs

Por falar nisso, ando sumida, mas o motivo não é outro senão ter dias curtos demais para tudo o que preciso e gosto de fazer. Aliás, um novo hobby tem se aproximado de mim, mas ainda não entrei com dois pés porque não tenho tempo, a lomografia. Para quem não conhece, de modo bem raso, são as fotos feitas com câmeras lomo ou toy câmeras e que, por uma série de “defeitos técnicos”,  dão um ar retrô, lavado, ou ainda com cores digamos “oníricas” às fotos. Talvez eu compre uma toy câmera, talvez eu ganhe hehehe DE todo modo, nos tempinhos vagos me divirto fazendo fotos lomo fake no photoshop (depois posto por aqui)…

Juntando as duas coisas, roupas que eu gostaria de usar e lomografia, cheguei à essa grife inglesa fofíssima, a Nadinoo. Roupas com esse ar retrô de que tanto gosto, mas com um corte clássico, que de certo modo fazem delas atemporais.O lookbook de primavera/verão deles é todo lomo. Para ver, clique aqui.

E você o que faria se tivesse 3 horas a mais no seu dia?

Anúncios

Fashion na chuva

17 fev

Confesso que nunca soube ser muito fashion na chuva. Ah, é barra da calça que molha, guarda-chuva que que voa pelo avesso, sapato que ensopa porque não é adequado, enfim…

Então tenho aprendido por aí que dá pra ter graça, beleza e pés sequinhos (ou quase) nesse tempo chuvoso que anda fazendo no nosso país tropical.

Uma das coisas que aprendi é que é melhor gastar uma grana numa sombrinha que preste do que gastar de 10 em 10 reais com as sombrinhas made in china, totalmente descartáveis. Mas aí não vale esquecer em qualquer lugar, ?  Sombrinha cara tem que virar bichinho de estimação ou quase.

Outro dia as meninas do Oficina de Estilo deram vários toques sobre o tema no post Chuva no Calor. Vale conferir.

Cores na chuva é tudo de bom. Animam o dia cinza, não é?

Sempre tive vergonha de sombrinhas kitsh (especialmente as floridas) estilo “Nenê” do programa “A Grande Família!” e, por isso, assim que me entendi por gente optei por guarda-chuvas pretos.

Sem graça, ?

Infelizmente não temos muitas opções de guarda-chuvas e sombrinhas fofos. Mas eu já vi na Zara um modelo bacaninha e outro dia vi numa loja de shopping (da qual não recordo o nome) uma super-bonitinha, vermelha com poás branquinhos. Se procurar, encontra.

Assim que a minha última sombrinha baratinha e ordinária quebrar, vou investir numa bacanérrima.

Por fim, para pés secos tenho me virado com a Melissa que o marido me deu no Natal. Mas sem dúvida, falta um par de galochas nos meus pezinhos.Vivendo e aprendendo!

Direção das imagens:

1. Kimberly Chorney

2.  O Alfaiate Lisboeta

3. Lulu Guiness

4 e 5: Le pink monde

Blanc, bleu, rouge

30 ago

>

Sei que sumi desse bloguinho, o que é uma pena, pois assim dificilmente minhas duas ou três leitoras terão paciência de continuar a vir por aqui. É que eu trabalho muito, tenho dois filhos, estou me preparando para uma seleção de doutorado (ano que vem, se tudo der certo), enfim,  eu quase não paro nunca (claro que isso é dito com uma boa dose de melodrama)…

Mas deixemos de lado as delongas. Estou aqui agora  e é isso o que interessa.

Esses dias estava muito querendo usar azul escuro, branco e vermelho, um pouco pela inspiração navy que vai tomar conta do verão. Então, decidi sair do óbvio das listras horizontais que tornaram o estilo tão famoso.  Nas unhas das mãos coloquei Toque de Ira (Risqué) e nos pés, New York (Ana Hickman), uma blusa branca, um jeans escuro, rasteirinhas vermelhas e … voilà!

Por falar nessa tendência, as lojas de departamentos parecem mais navios mercantes do século XIX. Tem para todos os gostos e bolsos. As peças que achei mais  legais  foram as  da Renner e da Zara. Outro dia eu encontrei uma maxicamiseta turca (!!!) superfofa e seminova num brechó por apenas 14 dinheiros. O legal é que ela foge do “mais do mesmo”: é bege e vermelho, tem uma super-gola marinheiro nas costas, e na frente várias referências navy. Vou montar um look com ela pra postar aqui, depois (amanhã, se der tempo).

Finalmente, para quem quiser se inspirar, lá vão algumas ideias:

Como o navy é um clássico, acho que dá para fazer duas coisas: comprar uma ou outra peça mais em conta, pra brincar com a moda “urgente” e investir numa peça mais bacana pra virar um coringa no guarda-roupa.

Em tempo, na Zara tem um paletó de risquinhas super-parecido com o da primeira foto. Não lembro quanto custa ao certo (sorry), mas algo em torno de 200 dinheiros.

Roteiro das imagens
1. Blog da Tatah
2. Moda – Um blog com Estilo
3. Blog da Crica
4. Oficina da Moda

Se liga, mulher!

19 jul

>

O inverno chegou… De novo! E  eu estava achando engraçado (ou trágico), pois até a semana passada o outono havia sido mais frio que o próprio inverno. Dava até para usar vestidinho e sandália de dedo!

Bom, mas o fato é que o frio bate à porta e confesso que algumas coisas me incomodam.

A primeira delas é a monotonia da calça jeans por dentro a bota. As meninas da Oficina de Estilo já falaram nisso, na falta de imaginação no uso das botas. E, puxa, é verdade! Às vezes parece que ninguém mais sabe usar botas de outro jeito. Eu mesma desisti de usar assim, ficou óbvio demais. Mas não bastasse a obviedade, algumas mulheres de quadris mais largos usam a bendita bota enfiada no jeans com jaquetas curtas e, na boa, não fica bem. O quadril fica gigantesco, a silhueta encurta, enfim, acho feio.

Não sou fã de polainas. Acho uma peça antipática. Mas usá-las com scarpins clássicos, como vi ontem uma menina na Paulista, é, no minímo, falta de noção do que cai bem e do conceito de cada peça.

Finalmente, acho super-bacana misturar estampas e texturas. Mas é preciso ter muito cuidado para não ficar over.  E acreditem, tenho visto cada coisa! Acho que a regra é ter bom-senso, afinal misturar trench-coat com blusinha de verão pode ser um desastre se não for bem dosado ou bem pensado. Por falar nisso, essa semana revendo uma revista francesa de uns dois invernos atrás tive uma aulinha básica de como misturar referências. Prometo essa semana ainda dividir com vocês.

Bom começo de semana!

Cores no inverno

26 jun

>Ah, por favor, não me venham com inverno careta, com cinza, preto e marrom, apenas. Uma pitada de cor, ou várias, nesse nosso inverno tropical faz bem para os olhos, especialmente m São Paulo, cidade já tão cinza. Eu acho chatíssimos aqueles looks fechados o tempo inteiro. Fica monótono, previsível.

E como usar cores no inverno? Pode ser um detalhe na roupa, pode ser uma peça inteira, pode ser num acessório e  até nas unhas. Aliás, sobre esse último item, penso que se a roupa é escura, neutra, não custa nada ousar nas unhas.

Direção da imagem: O Alfaiate Lisboeta

Enfim, acho que dá pra tornar o inverno mais “quente” e sair do “mais do mesmo”.

Direção da imagem: Yarn Styilist

E vocês, o que acham?

Voltando…

10 jun

>Esse bloguinho passou dias e dias abandonado e minhas três leitoras (rsrsrs) devem achar que o larguei mesmo de vez. Foram dias tumultuados. Fui transferida de unidade de trabalho (para melhor, beeeeeeem melhor), minha filha mais velha teve um episódio severo de alergia medicamentosa (primeira vez que aconteceu) e agora estamos, os quatro, com uma tosse seca chata, chatíssima. Mas enfim, voltei!

O frio que tem feito em São Paulo é inspirador. Agora que voltei a trabalhar na avenida Paulista, fico com muita vontade de ser uma “sartorialista” brazuca e sair por aí clicando as produções cotidianas. Geralmente falo nos erros de look, mas os acertos são muitos. As pessoas estão cada vez mais ligadas em moda e a moda é cada vez mais algo próximo e não apenas um luxo para poucos e ricos. Aliás, moda é algo que cada um pode inventar ou reinventar.

Um termômetro disso é a febre dos bloguinhos de moda feitos por gente comum, como eu e você.  Exemplos não faltam, seja aqui, seja lá fora. Meninas que não são exatamente um padrão de beleza viram estrelas fashion por sua atitude, seu olhar ímpar sobre a beleza pessoal e a estética do que as rodeia. E isso é tão democrático que abarca desde a faixa teen até mulheres maduras. Para ilustrar basta lembrar da Eléonore Bridge (em foto logo abaixo) e a Chris Guerra.

Para concluir esse post quase colcha de retalho, as semanas de moda brasileira se agitam nos backstages e enchem nossos olhinhos de referências para o próximo verão. Não falarei delas aqui, até porque já tem gente boa nisso comentando na blogosfera, mas fica a dica de espiar o blog Garotas Estúpidas no quesito maquiagem.

Se liga, mulher!

3 maio

>

Em cartaz, mais um especial da Fashion Victims Unit. Hoje o tema é a dupla moleton e tênis, pois confesso que à exceção do All Star, e alguns modelos Adidas, não saio de tênis esportivo nem que a vaca tussa. E moleton, bem, moleton eu só uso onde cabe usar. Tenho um péssimo humor para as duas peças usadas fora do contexto.

Vale ressaltar que essas observações são muito pessoais, ou seja, dá crédito a elas quem quer, pois cada um se veste da maneira que deseja, mesmo que isso possa significar ser alvo de vergonha alheia.

  • Moleton é roupa para ir à academia, caminhar (ou correr) no parque, ir na padoca comprar um pão quentinho, passear com as crianças pelo bairro, ficar em casa num domingo preguiçoso de pernas pro ar, dormir. Nada além disso.
  • Tênis é sapato para ir à academia, caminhar (ou correr) no parque, ir na padoca comprar um pão quentinho, passear com as crianças pelo bairro e só. Nada além disso.
  • Nunca vá a qualquer aeroporto do mundo (na verdade a lugar nenhum)  vestida de moleton pink, com tênis com detalhes pink, bijuterias aos zilhões e uma bolsa Victor Hugo a tiracolo. Se você tem mais de 12 anos de idade nada a desculpa desse atentado (e, gente, ele existiu, eu vi!).
  • Nem tudo o que a moda apregoa condiz com a sanidade da moda. Por mais bonitinho, com corte ousado (como o da foto, por exemplo), combinado com peças bacanas etc e tal, definitivamente moleton não é fashion.
  • Por mais que seu look seja caprichado, sua calça tenha um caimento legal, sua blusa estampada seja fofa, seu esmalte e seu cabelo estejam caprichadinhos, um tênis esportivo (do tipo usado para ginástica ou caminhada) pôe tudo a perder.
  • Já os casacos de moleton são um capítulo à parte, alguns são bonitinhos e não fazem feio, não. 

Direção da imagem: Pílulas de Moda