O fim…

19 jul

Um ano e quatro meses depois é hora de dizer au revoir. Foi bom enquanto durou e quem me conhece sabe onde me encontrar.

Um beijo!

 

 

imagem via Yes Dear.

Parabéns para mim!

10 jul

 

Sumi!

1 jul

Além do trabalho normal, dos filhos e dos estudos para o doutorado, estou dando aulas num curso de pós numa área bem diversa da minha, design. Então sumi, mesmo!

Logo volto, assim espero.

Enquanto isso, conheçam esses garotos que zoam com estilo esse universo fashionista blogueiro. Eles são demais:

Todo dia um look

Na foto, look da festa junina grunge:

Compartilhando

29 maio

Algumas coisinhas com as quais andei esbarrando e que, acho, vale muito à pena.

Livros

Dois livros infantis muitíssimo bacanas para crianças de 8 a 80. Eu adorei. E vou comprar para minha filhota (e pego emprestado hahaha).

O primeiro chama-se Um Amor de Botão (de Carlioz Pauline) e conta a história da coquete senhorita Odete e do charmoso senhor Mateus, dois amantes da elegância, que um dia se encontram graças a dois botõezinhos perdidos. O livro é lindo. As ilustrações muito caprichadas e o mais especial, o livro é uma espécie de dois em um, com duas histórias paralelas que vão se tocando, se desencontrando, se encontrando.

O outro chama-se Yumi (de Annelore Parot) e fala das kokeshis, bonequinhas de madeira japonesas. Mais uma vez, ilustração primorosa em uma linda mistura de estampas. É um deslumbre esse livro e o texto muito bacana, que permite uma interatividade interessante com o leitor, com jogos de busca de personagens, visita a uma loja de fantasias e um mergulho super-lúdico na cultura japonesa. Aqui em casa ele reina absoluto nas horas de leitura.

Lenços

Gosto de lenços e echarpes desde criança. Ultimamente a relação estava meio morna, mas com o inverno batendo à porta com suas mãozinhas geladas, a paixão se renova! Como nada é por acaso, olha só o video que outro dia compartilharam comigo. Uau! Usar lenço do mesmo jeito sempre só se você quiser!

Cabelo glamouroso

Sabem aquele cabelo poderoso com um certo volume no topo e que se imortalizou com  Audrey Hepburn? Ele pode ser seu de uma forma mais simples do que se pensa. Bem, pelo menos é o que a propaganda do acessório, chamado bumpits, promete. Como eu curto muito uns penteados mais ousados (não tanto como Amy Winehouse, of course), já encomendei meu kit e depois conto aqui. Quem quiser se aventurar, o acessório é vendido no Brasil por 25 dinheiros no site Up Makeup. Vem em cinco tamanhos diferentes e em cores que se aproximam com a cor do cabelo pra ficar bem escondidinho.

Ah, olha a carinha dos bumpits aí:

Atualizando

4 maio

1.Há dois meses atrás parti numa cruzada com o intuito de melhorar minha pele. Litros de àgua termal depois (rsrsrs), posso dizer que minha pele melhorou uns 95%. A textura está melhor, a luminosidade, a hidratação. No geral, gostei muito de todos os produtos que estou usando (a maior parte da La Roche-Posay), mas devo tirar o chapéu especialmente para o Hydraphase XL Legere, um hidratante leve e muito gostoso de usar,  e para o antissinais Neovadiol (da Vichy). Esse último, devo dizer que é incrível. Realmente sinto muita diferença na textura da pele e mesmo uma marca que estava prestes a se tornar uma ruga (e que vinha me incomodando, confesso) simplesmente desapareceu, assim como muitas linhas finas na testa.

2. Meu amigo R. voltou da Espanha e trouxe o tão esperado Teint Miracle, da Lâncome. Ele me falou que a base bomba na Espanha, tipo carro-chefe da marca. E que Julia Roberts, a garota propaganda da mesma, está em todas. Ainda não usei, mas estou ansiosa. Conheci a base por uma amostra que ganhei (deu para usar duas vezes) e foi suficiente para que me apaixonasse por ela e por seu efeito. Vamos ver agora se a paixão se confirma. O R., muito fofo, me trouxe ainda dois esmaltinhos H&M e mais um do Carrefour espanhol.

3. Ando mal-humorada com o WordPress. E um tanto arrependida de ter deixado o Blogspot. Fica muito feio se eu, feito filha pródiga, voltar para casa (ou seja voltar para o meu velho endereço do Blogspot?)? É que sinto falta do dinamismo dos widgets do Blogger, dos links de seguidores etc, etc. Enfim, por mais bonitinhos que sejam os templates do WordPress (e foi isso que me atraiu, confesso), o resto é bem comum e duro.

C’est la vie!

Se meu dia tivesse umas 3 horas a mais…

4 maio

… Eu faria um curso de corte e costura e mais um de modelagem pra fazer eu mesma as roupas que eu gostaria de vestir.

Sim, houve uma época da minha vida (que na verdade parece ter sido em outra vida) em que eu tinha uma costureira amiga que fazia tudo o que eu queria, do jeitinho que eu gostava e pedia.

Hoje isso não é mais real. Mas não custa sonhar com um dia mais longo rsrsrs

Por falar nisso, ando sumida, mas o motivo não é outro senão ter dias curtos demais para tudo o que preciso e gosto de fazer. Aliás, um novo hobby tem se aproximado de mim, mas ainda não entrei com dois pés porque não tenho tempo, a lomografia. Para quem não conhece, de modo bem raso, são as fotos feitas com câmeras lomo ou toy câmeras e que, por uma série de “defeitos técnicos”,  dão um ar retrô, lavado, ou ainda com cores digamos “oníricas” às fotos. Talvez eu compre uma toy câmera, talvez eu ganhe hehehe DE todo modo, nos tempinhos vagos me divirto fazendo fotos lomo fake no photoshop (depois posto por aqui)…

Juntando as duas coisas, roupas que eu gostaria de usar e lomografia, cheguei à essa grife inglesa fofíssima, a Nadinoo. Roupas com esse ar retrô de que tanto gosto, mas com um corte clássico, que de certo modo fazem delas atemporais.O lookbook de primavera/verão deles é todo lomo. Para ver, clique aqui.

E você o que faria se tivesse 3 horas a mais no seu dia?

Quem quer ser como ela?

21 abr

De vez em quando assisto a alguns desses programas de “mude o meu estilo” que pipocam na TV. Acredito que todo mundo em determinado momento da vida passou por uma mudança de estilo e se aconselhou com a mãe, a irmã, as melhores amigas ou com o último número da revista de moda predileta. A esse time de conselheiros se juntaram a blogueira menina-comum com senso estético apurado e os tais programas. E é sobre esse último que quero falar, pois há tempos me incomodam.

O que me assusta na abordagem desses programas, sejam os estrangeiros ou os similares nacionais, é que o pressuposto do qual invariavelmente partem: a de que existe um modelo ideal e homogêneo de elegância que deve ser seguido sem questionamento. O que vem depois é um festival de desrespeito à individualidade e à história de vida dos envolvidos e não raras vezes descamba no desrespeito moral, mesmo. O guru de estilo Tim Gunn num dos programas praticamente chamou a moça a qual ele “aconselhava” de vagabunda.

Nada mais constragedor, no entanto, que uma mulher pobre e maltratada colocada na vitrine e espezinhada no que resta de sua autoestima.

Me impressiona é que os programas sempre têm sucesso, inclusive com as pessoas mais rígidas e que se colocam mais na defensiva, os chamados “casos perdidos”. Se é real, eu não sei. Mas mesmo que a mudança não seja permanente e na semana seguinte  a personagem tenha voltado a vestir moleton até no casamento da rainha, a mensagem de que todos devem mudar e obedecer a um padrão de vestuário é assustadora.

Nem sempre considero que os apresentadores são péssimos conselheiros. Não é disso que se trata. Se trata mesmo é da abordagem e, sobretudo, da mensagem que passam.

Um dos melhores programas do gênero (acho que infelizmente não teve nova temporada) era o Tamanho Único, do GNT. Um tanto superficial, sim, mas que por outro lado apostava num protagonismo da personagem convidada.

Enfim, acho que quando se trata de mudar a palavra protagonismo deve estar em relevo, pois a opinião dos outros é apenas uma opinião. E como sempre digo a minha filha de 5 anos, a TV quase sempre mente. E afinal ninguém precisa ser “ela” quando pode se ser quem é, com todos os defeitos, virtudes, erros e acertos?